z Trip z email

slide1

Fachada museu

Contactos

 Tel.: +351 291 961 858/9
 Email: geral@museudabaleia.org

APOM  2022

2019

2016 1EMYA yelow nominee 2014 232012

Trip1

Visita Virtual

Venha Conhecer-nos!

arrojamento

R.A.C.A.M.

Rede de Arrojamentos de Cetáceos
do Arquipélago da Madeira
Contactos:
291 961 859 / 924 432 091

Logo APOM

Vencedor do Prémio - Incorporação 2022

O Museu da Baleia da Madeira (MBM) recebeu um prémio da APOM - Associação Portuguesa de Museologia, na categoria incorporação, numa cerimónia que se realizou na Academia Militar, na Amadora. Como já é habitual a APOM reúne anualmente profissionais da museologia e da cultura numa cerimónia em que são distinguidos e divulgados os melhores trabalhos da área, organizados por diversas categorias. O Museu da Baleia esteve representado pela sua diretora, Ana Nóbrega e a Câmara Municipal de Machico, que tutela o Museu, esteve representado pela Vereadora da Cultura, Mónica Vieira.

A distinção, subordinada ao tema “o lixo marinho mata” é relativa à incorporação de um aglomerado de plásticos encontrados no estômago de um golfinho arrojado, aquando da realização do exame post mortem. Este conteúdo estomacal que causou a obstrução do trato digestivo e conduziu à morte do animal, foi incluído na exposição permanente com o objetivo de mostrar, alertar e promover a reflexão sobre as consequências das ações humanas e consciencializar para a importância de adotar novos comportamentos.

 

Estudo de caso

O lixo marinho é uma realidade global que se estende por todo o planeta. Se é impressionante observar a quantidade de lixo que chega ao mar, independentemente da sua origem, é chocante observar as consequências que tem nas várias espécies marinhas, sejam causadas por ingestão ou emaranhamento.

O MBM tem a seu cargo a Rede de Arrojamentos de cetáceos do arquipélago da Madeira (RACAM), através da qual é feita a recolha dos animais arrojados, ou seja, dos animais que dão à costa, para posterior realização de exame post mortem ou necropsia, com o objetivo principal de determinar a causa de morte.

A 24 de agosto de 2020, o Museu foi alertado para um arrojamento na Ribeira da Janela, tomando de imediato todas as medidas necessárias para a recolha do animal, posteriormente, identificado como um golfinho pintado, Stenella frontalis, cuja necropsia aconteceu em janeiro de 2021. Durante este procedimento, verificou-se que o animal, aparentemente sem lesões externas, continha no estômago uma massa de plásticos com cerca de 1kg, composta por vários sacos, linhas de nylon e uma extensão de manga plástica com alguns metros de comprimento. Todo este material formava uma massa compacta que obstruía completamente a primeira câmara do estômago do golfinho e apesar da existência de alguns restos de presas de pequenas dimensões, pôde-se concluir que a morte do animal foi causada pela obstrução do trato digestivo.

Esta quantidade de plástico num animal que ocupa o topo da cadeia alimentar, demonstra o perigo que o lixo marinho representa para os animais marinhos e é um bom exemplo de que este é um problema global, que não acontece só longe da região.

O lixo retirado foi sujeito a um processo de limpeza e foi incorporado na exposição permanente num nicho dedicado ao lixo marinho, com a respetiva legenda, para que os visitantes observem o que muitas vezes se ouve falar, mas que nos parece irreal ou muito distante.

Esta amostra pretende alertar para os efeitos nefastos do lixo, para os impactos que têm na vida marinha e acima de tudo lembrar que são provocados por comportamentos humanos que necessitam urgentemente de mudanças. Coloca o Museu enquanto entidade capaz de despertar a reflexão sobre simples atos e ações do quotidiano, aparentemente inofensivos, mas que são altamente prejudiciais a outras espécies. É o caso do uso desmedido do plástico, cuja durabilidade é de cerca de 450 anos e é usado como se fosse um material descartável, agravado pelo pouco cuidado que existe no seu destino final. As consequências destes atos assumem proporções gigantescas, sendo imperativo consciencializar as pessoas sobre este facto, que constitui uma das preocupações do Museu, na concretização da sua missão e dos seus valores.

 

 

Logo APOM

Vencedor do Prémio - Incorporação 2019

O Museu da Baleia da Madeira (MBM) foi vencedor na categoria de Incorporação dos Prémios da Associação Portuguesa de Museologia (APOM) 2019, que pretende relevar o que de melhor se faz nos museus portugueses. A atribuição desta distinção representa o reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido na instituição. Foi alcançada com a criação do nicho museológico, subordinado ao tema Moby Dick: representações da caça à baleia.

Este núcleo é constituído por objetos emblemáticos com referências mundiais, como é o caso do arpão original utilizado no filme Moby Dick (1956) de John Huston, cujas cenas da caça foram realizadas com o apoio dos baleeiros madeirenses, registando episódios gravados no mar entre a freguesia do Caniçal e as Ilhas Desertas. O núcleo é complementado por duas peças em osso do maxilar de cachalote, ilustradas com a técnica de scrimshaw, também conhecida como arte baleeira, que consiste na gravação e/ou pintura em dentes e ossos da mandíbula de cachalote. Neste caso em particular, as peças retratam cenas da baleação. Uma das peças remete para a realidade local, da época, representando a perseguição a um cetáceo e a outra é ilustrada com o naufrágio de uma baleeira, provocado por um abalroamento de cachalote.

Qualquer uma das peças revela o impacto que a atividade baleeira teve no quotidiano das comunidades, tanto a nível regional como a nível mundial e para a importância de a compreender, como um contributo para a identidade e memória colectivas. As coleções do Museu da Baleia são elos de ligação que nos ajudam a compreender o passado local e a conciliá-lo com o presente, ao testemunhar a transição da caça para a conservação e utilização sustentável dos recursos naturais.

 

Logo APOM

Vencedor do Prémio de Melhor Serviço de Extensão Cultural 2016

O Museu da Baleia da Madeira (MBM) foi o vencedor na categoria de Melhor Serviço de Extensão Cultural dos Prémios da Associação Portuguesa de Museologia (APOM) 2016, de entre várias candidaturas de todo o território nacional. O MBM distingue-se, assim, pela sua diversidade e trabalho de proximidade junto às escolas e da população, levando a cultura do museu para além das suas instalações.

A atribuição deste prémio representa o reconhecimento, a nível nacional, da qualidade do trabalho desenvolvido na instituição, que teve por base a compilação das atividades desenvolvidas pelo Museu da Baleia da Madeira, no ano de 2015, no âmbito das suas valências: Museologia, Ciência e Educação. As ações foram apresentadas numa relação de continuidade com o passado e enquadradas nas próximas iniciativas da instituição, nunca perdendo de vista aquela que é a missão do museu e o incentivo à envolvência e participação da comunidade.

O Museu da Baleia da Madeira é um centro cultural multidisciplinar que se distingue pela diversidade das suas valências, abordando o mar de diferentes formas e constituindo uma mais-valia que se traduz num elevado grau de abrangência cultural. O MBM através do trabalho e atividades desenvolvidas nas suas áreas de intervenção tem vindo a afirmar o seu valor e a consolidar o importante papel que desempenha a nível cultural, junto da comunidade em geral e da local em particular.

 EMYA Logo

European Museum of the Year Award 2014

O Museu da Baleia da Madeira (MBM) é finalista do concurso European Museum of the Year Award 2014 promovido anualmente pelo European Museum Forum (EMF). 
A EMF é uma organização independente sem fins lucrativos, supervisionada pelo Conselho Europeu, com a finalidade de promover a inovação nas práticas museológicas.
O prémio European Museum of the Year Award visa reconhecer a qualidade do trabalho desenvolvido em prol da fidelização de novos públicos-alvo em consonância com a promoção de práticas inovadoras no uso do acervo museológico.
A seleção do MBM, de entre inúmeras candidaturas, para finalista da edição de 2014 foi, desde logo, entendida como um reconhecimento pelo trabalho desenvolvido e, independentemente do resultado final, entendida como gratificação pública que a todos deve orgulhar. 
A cerimónia de atribuição de prémios ocorrerá a 17 de Maio, em Tallin – Estónia, estando o MBM representado pelo diretor, Dr.º Luís Freitas.

 Nomimee 2014

apom

Menção Honrosa de Melhor Museu Português 2012

O Museu da Baleia da Madeira (MBM) recebeu uma Menção Honrosa na categoria de Melhor Museu Português dos Prémios da Associação Portuguesa de Museologia (APOM) 2012.